Iede é a unidade responsável pelo diagnóstico da fibrose cística em todo estado

Foto: 

Doença que pode levar a morte deve ser detectada precocemente. A partir de agora, Teste do Pezinho vai incluir essa análise, que deve ser realizada entre o 3º e 5º dia de vida do bebê.

Uma doença de origem genética grave, sem cura, que pode causar deficiências progressivas e levar à morte começa a ser diagnosticada precocemente em toda a rede de saúde pública do estado. A fibrose cística acaba de ser incluída na fase III da Triagem Neonatal (Teste do Pezinho) para os bebês nascidos no Rio de Janeiro. O exame, oferecido gratuitamente nos postos de saúde e clínicas da família, deve ser realizado de preferência entre o 3º e 5º dia de vida da criança. O Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (Iede) recebe os testes e é o responsável pelo diagnóstico da doença em todo o estado.


Realizado a partir de gotas de sangue colhidas do calcanhar do recém-nascido, o Teste do Pezinho detecta precocemente, além da fibrose cística, outras